em Coleção.Moda

Sabemos que a ficha técnica é um documento descritivo de uma peça da sua coleção. Ela nada mais é do que o manual para construção da sua ideia. Mas é a partir dela que seu produto ganha forma. Então, quando houver erros ou falta de precisão no preenchimento das informações, inúmeros problemas podem ocorrer, podendo ir desde a modelagem até a compra errada de insumos.

Para te ajudar a melhorar esse processo, listamos 5 dicas para que esse documento seja o manual entre todos os setores da empresa e haja uma mesma linguagem, assim a criação sairá do papel como você realmente idealizou.

Dica nº1

  • Utilize uma base de um boneco técnico para a construção do seu desenho, caso você não utilize nenhum software, o faça manual. Lembre-se que detalhes como comprimentos, recortes, quando desenhados de forma correta facilitam a modelagem. Chegar na prova de roupa e perceber que o vestido era comprimento midi e no desenho estava comprimento curto, necessitando uma nova repilotagem, isso é tempo e dinheiro, ok ?

Dica nº 2

  • Em alguns casos o preenchimento da ficha técnica é feito pelos assistentes, e em outras situações é o próprio estilista que preenche, portanto fique atento aos acabamentos, pespontos, por exemplo: se você idealizou um t-shirt masculina com acabamentos a fio, como bainha, ou recortes, precisa sinalizar na ficha técnica, certo? Não adianta chegar na prova de roupa e cobrar isto da piloteira, é função do estilista dizer que acabamentos imaginou, então isso é valido também para aviamentos e outros detalhes pertinentes ao produto.

Dica nº 3

  • Um protótipo não pode sair do papel sem você saber qual tecido imagina, portanto na ficha técnica deve sim, ter um campo com todos os detalhes pertinentes, como qual o tecido, fornecedor, composição e cor, afinal de contas uma modelagem de tecido de malha é diferente do tecido plano, então atenção a isso.

Dica nº4

  • Os aviamentos são outro ponto importante, pois são sim, função do estilista encaminhar a ficha técnica com detalhes dos aviamentos que definiu para a sua criação, mesmo que estes materiais não sejam comprados por você. Assim indique o maior número de informações que tiver, lembre-se o PCP precisa emitir ordens de aquisição para as compras, então já pensou se você criar o produto com botão de metal sem estar informado na ficha técnica e alguém resolve colocar botão de massa? Então você estilista deve sim preencher corretamente.

Dica nº5

  • Em algumas empresas a ficha de custo só acontece depois do protótipo pronto e aprovado, já que fazer o custo exige algumas informações de costura e detalhes que não há necessidade de perder tempo se a peça não for a venda. Normalmente esse trabalho mais minucioso não é feito pelo estilista, e sim pela engenharia do produto e sabemos que os estilistas normalmente não querem muito executar esse trabalho. Mas nós do Coleção.Moda gostaríamos de sugerir a você que é estilista que faça os custos de alguns produtos. Não precisa ser da coleção toda, mas se prontifique e sente ao lado da engenharia, conheça mais sobre os custos da sua criação, e só assim você vai adquirir conhecimentos, que com o tempo, quando estiver criando um novo produto, você já conseguirá imaginar o preço dele no consumidor final, e assim aprender o que realmente poderá fazer parte da sua coleção.

Para finalizar, executamos uma ficha técnica para te ajudar, onde a página nº 1 é o desenho com informações pertinentes a sua criação, a página nº 2 é uma pré ficha de custo, e a página nº 3 é a ficha de serviços terceirizados como estamparia, bordados, lavanderia, etc. Apenas ressaltando que o formato da ficha pode variar de empresa para empresa, mas existem campos fundamentais que devem ser preenchidos!

Você pode ter ela em mãos cadastrando-se abaixo!

[yikes-mailchimp form=”7″ description=”1″]

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Bitnami